Historial Engenharte

novembro 27, 2007

Passado, Presente e Futuro

Filed under: Teatro — hismarinho @ 2:34 pm

engenharte

T e a t r o – F E U P

 

O Grupo de Teatro da FEUP surge em 2000 como uma iniciativa do núcleo cultural da Associação de Estudantes. Em 2002 ganha alguma autonomia passando a ser coordenado pelos alunos que o constituem, embora continuando a contar com os apoios da Associação de Estudantes e do Comissariado Cultural. É nesta altura que o projecto recebe o nome de Engenharte. O objectivo é proporcionar aos futuros engenheiros um importante complemento de enriquecimento pessoal através da sensibilização para o mundo das artes e do espectáculo estimular o espírito criativo e a capacidade de dar vida a histórias e imagens transformando-as em cenas de palco. Cada edição envolve a formação teatral através de jogos e exercícios, o desenvolvimento da expressão corporal e do uso da voz, a construção de personagem, o exercício da imaginação, a experiência do processo de criação e o ensaio de espectáculo.

Durante a sua existência, o Engenharte já levou a palco Tisanas baseado em textos de Ana Hatherly (2002), Formigas de Boris Vian (2003) e O Louco a partir de Khalil Gibran (2004), espectáculos encenados por Pedro Saraiva Brandão. Em 2005 apresentou Buraco Negro de Gerardjan Rijnders sob direcção de António Júlio e em 2006, também sob a coordenação de António Júlio, realizou um projecto constituído por 4 workshops que resultaram em 4 apresentações: Texto e Sub-texto, dirigido por Sílvia Silva, Corpo e Memória, por Andrea Moisés, Dramaturgia e Escrita Criativa, por António A. Silva e A Máscara e o Palhaço, por Graça Ochoa. O Engenharte participou ainda em Porto Sentido na FEUP, em Outubro de 2002, e em Fevereiro de 2006 colaborou com o Comissariado Cultural na realização do espectáculo Perdi a Minha Pen-Drive, dirigido por José Carretas. Em Maio de 2007 apresenta o espectáculo O Arranca Corações a partir de Boris Vian, a direcção de actores está a cargo de António Júlio e conta com a colaboração de António A. Silva e Andrea Moisés. É com este espectáculo que o Engenharte se apresenta, no Estúdio Latino, no Festival INPUT 07.

Neste momento, após uma introdução do grupo ao projecto pela mão de António Júlio, o Engenharte inicia uma sequência de 3 módulos: Bloco de Memórias – Memórias de Cortar à Faca, dirigido por Andrea Moisés; Projecto Anti-Convenção, por António A. Silva e O Quadrado, por Rute Moreda. Cada um destes módulos resultará numa apresentação a público no espaço da FEUP e pretende-se que no final, os três se relacionem para construir um espectáculo maior. Todas as apresentações do Engenharte serão divulgadas dentro e fora da faculdade… estejam atentos!

Anúncios

Blog no WordPress.com.